Fernando e Sorocaba – Preces de um Fazendeiro

Fernando e Sorocaba - Preces de um Fazendeiro

Fernando e Sorocaba – Preces de um Fazendeiro

Letra:

Como eu queria que ninguém sofresse por amor
Pra cada espinho sempre existe uma flor
Que toda varanda tivesse um balanço
Viver o hoje sem fazer milhões de planos

Que os avós congelassem no tempo
Que as brigas se resolvessem num beijo
Que a música trouxesse paz de norte a sul
Que todos se abraçassem pra cantar boate azul
Que a chuva ouvisse as preces de um fazendeiro

Que toda manhã de segunda
Fosse igual sexta
Que nas geladeiras não faltassem cervejas
E as amizades fossem pra sempre
E que nossos pais nunca morressem

Manhã de segunda
Fosse igual sexta
Que nas geladeiras não faltassem cervejas
Que as amizades fossem pra sempre
E que nossos pais nunca morressem

Queria que os bons cachorros não ficassem velhos
Que ninguém fosse trabalhar num dia de tédio
Que a palavra valasse como um contrato
E o dinheiro não comprasse um abraço
Que os times do coração nunca perdessem