Gustavo Moura e Rafael – Viva a Vida – De São Paulo à Belém – O Chão Vai Tremer

Gustavo Moura e Rafael - Viva a Vida - De São Paulo à Belém - O Chão Vai Tremer

Gustavo Moura e Rafael – Viva a Vida – De São Paulo à Belém – O Chão Vai Tremer

DOWNLOAD

Letra:

Quebrei a taça da amargura
Atirei seus pedaços ao vento
Gritei bem alto:
-Viva a vida!
O sol que andava meio ausente
Voltou a brilhar novamente
Com o sorriso da mulher querida

As minhas lágrimas secaram para sempre
Sua presença mandou a saudade embora
Não sinto mais essa ansiedade louca
Quando de amor estava quase morrendo
Senti seus lábios para a vida me trazendo
Com respiração de boca a boca

Só o amor vale tudo na vida
Só o amor é a inspiração
Sem amor a esperança é perdida
Por amor escrevi esta canção

Eu sou tropeiro e adoro esta vida
A gente vai para onde quiser
Não tenho amores querência nenhuma
E nunca me prendo por uma mulher

De um pingo de raça
Essa é a vida que eu sempre quis
Levando a tropa eu vou pelo mundo
Sorrindo e cantando, sou muito feliz

Muitas mulheres bonitas me querem
Muitas promessas de amor recebi
Mas meu destino é vagar pelo mundo
Sempre cantando, sou muito feliz

Deu um arrocho no peito, eu fiquei apavorado
São Paulo ficou pequena, oh lugarzinho abafado!
Peguei a Via Anhanguera e a coisa ficou pior
Quando passei em Campinas, dava pena, dava dó

No trevo de Americana pensei: Não vou aguentar
De Limeira até Araras fui chorando sem parar
Numa parada em Leme dei um alô à plateia
Foi lá em Pirassununga que eu tive uma boa ideia

De parar em Ribeirão tomar um chopp gelado
De lá eu passei em Franca, comprei uma bota invocada
E na festa de Barretos cheguei muito apaixonado

A saudade é um prego, coração é um martelo
Fere o peito e dói na alma e vai virando um flagelo
A saudade é um prego, coração é um martelo
Fere o peito e dói na alma e vai virando um flagelo

De Uberaba a Uberlândia fui contemplando a beleza
Dando um tapa na saudade ouvindo moda sertaneja
Cidade de Araguari, do meu pranto era a prova
Fui curar minha ressaca nas águas de Caldas Novas

Tem coisas que a gente pensa, coração fica doente
Pensei na lua-de-mel na pousada do Rio Quente
E no trevo de Morrinhos chorando igual criança
De encontrá-la em Goiânia, eu vou cheio de esperança

E se na linda Goiânia eu não encontrar ninguém
Amanhã bem cedo eu sigo com destino a Belém
Vou até o fim do mundo, mas quero encontrar meu bem

A saudade é um prego, coração é um martelo
Fere o peito e doí na alma e vai virando um flagelo
A saudade é um prego, coração é um martelo
Fere o peito e dói na alma e vai virando um flagelo

Ele vem cavalgando nos montes
Com Seus pés de latão reluzente
Tem os olhos de fogo e voz de trovão

Vem marchando com Seus cavaleiros
Arvorando a Sua bandeira
Tem o cetro de ouro e a espada nas mãos

Ele vem revestido de branco
Ele é santo, ele é santo, ele é santo!
Eu já posso ouvir os seus passos aqui

Ele vem coroado de glória
É agora, é agora, é agora!
Que o chão vai tremer e o céu vai se abrir

O chão vai tremer!
O Céu vai se abrir!
Os anjos de Deus vão descer e subir
Senhor dos Exércitos é o Seu nome

Deixe seu comentário